Proibir Canudos Plásticos é uma Boa Solução?

Proibir Canudos Plásticos é uma Boa Solução? A Proibição de Canudos Plásticos Descartáveis está a cada dia que passa tomando uma dimensão global.

Foi muito rápido para eles passarem a ser considerados como os “Novos Vilões do Meio Ambiente”. Com tamanha exposição, a opinião pública está cada vez mais contrária aos plásticos. E, com isso, a proibição de canudos de plástico descartáveis e outros produtos descartáveis é uma das medidas que vêm sendo adotadas por governos, empresas e instituições de diversos países.

Mas será que somente Proibir Canudos Plásticos é uma Boa Solução? Continue a leitura deste artigo e saiba mais sobre esse assunto.

Proibição de Canudos Plásticos Descartáveis – Como Tudo Isso Começou?

Em 2018, circularam artigos e campanhas com imagens impactantes sobre o mau uso do plástico. Entre eles, um vídeo gravado em 2015, no litoral da Costa Rica, mostrando o esforço de ambientalistas para retirar um canudo descartável preso na narina de uma tartaruga marinha. Esse vídeo tornou-se uma referência do que um pequeno objeto, como um canudinho, pode fazer para os seres marinhos.

Não demorou para os canudos descartáveis se tornarem o inimigo número um da sociedade, motivado por divulgações na imprensa, sem base científica.

Proibir Canudos Plásticos é uma Boa Solução?

Um estudo da Fundação Ellen MacArthur em parceria com a McKinsey calcula que até 2050 haverá mais plástico que peixes nos oceanos se nosso padrão de consumo e descarte não mudar. De acordo com o documento, são cerca de 08 (oito) milhões de toneladas despejadas por ano nos mares em todo o mundo.

Proibição de Canudos – de Buckingham (Rainha Elizabeth II, do Reino Unido – UK) ao Rio de Janeiro

Em Fevereiro de 2018, a rainha do Reino Unido – UK, Elizabeth II, decretou a proibição de canudos plásticos descartáveis, assim como outros itens do mesmo material em seu palácio.

Aqui no Brasil, o município do Rio de Janeiro proibiu o uso de canudos plásticos descartáveis em Julho de 2018, com multas de até 03 (três) mil reais para quem descumprir a lei.

Apesar da preocupação ambiental, a lei apenas proíbe o uso dos canudos plásticos descartáveis, mas não incentiva o desenvolvimento de soluções alternativas para o consumo.

Resultado de Tais Proibições

Qual o resultado de tais medidas?

  • Falta de Critério,
  • Soluções Inadequadas,
  • Enriquecimentos de Grupos Selecionados.

Outra consequência foi o aumento no uso de outros tipos de produtos plásticos, como o copo para substituir o canudo.

Proibir é Diferente de Educar

Sempre que autoridades tomam uma atitude drástica, sem embasamento em estudos para tal, normalmente, estão beneficiando Grupos Selecionados.

A ideia de substituí-lo por utensílios comprovadamente biodegradáveis ou de uso permanente esbarra no mesmo problema: falta incentivo para o desenvolvimento de soluções alternativas para o consumo.

O canudo descartável normalmente é usado por alguns minutos quando se toma uma bebida. A questão aqui é o tempo que este demora para se decompor: são até 200 (duzentos) anos, já que sua composição, normalmente, é de polipropileno ou poliestireno, materiais não biodegradáveis. Por esse motivo, é fácil pensar que a solução mais óbvia seja uma proibição de canudos de plástico descartáveis.

Para termos uma base de comparação, só nos Estados Unidos da América (USA) todos os dias são usados 500 milhões de canudos plásticos. E calcula-se que a estimativa para o Brasil não fique muito atrás dos supostos dados norte-americanos.

Só Para Chamar a Atenção

Segundo dados divulgados pela Folha de São Paulo, se os canudos descartáveis consumidos pelos brasileiros em 01 (um) ano fossem colocados lado a lado, seria possível dar uma volta completa na Terra em uma linha de mais de 45.000 quilômetros.

No entanto, os canudos representam 4% do lixo plástico do mundo. E os outros 96%? Precisamos reconhecer que a principal função dessa “caça aos canudos” deve ser aumentar a discussão para o uso do plástico além dos canudos, assim como o do descarte adequado desse tipo de material.

Vantagens do Plástico

O plástico não é somente um vilão. É um material versátil e poderoso, que consegue ser ao mesmo tempo leve, maleável, durável e resistente. Ele pode assumir infinitas formas, cores e tem diversas aplicabilidades. E, por esses motivos, o plástico está em todos os lugares: na lente de contato, nos celulares, guardando o nosso remédio, guardando a comida na geladeira e na própria geladeira.

É a pouca atenção dada à reciclabilidade dos produtos feitos a partir de plástico e o mau gerenciamento do seu “ciclo de vida” que tem levado a poluição generalizada desse material. E para reverter isso, é urgente pensar em melhores soluções para que esse material não esteja espalhado nos lugares errados.

Mas apenas a proibição dos canudos de plástico descartáveis não resolve a situação. É preciso desenvolver alternativas viáveis e disseminar ainda mais a ideia de que o uso e o descarte inadequado dos produtos descartáveis de plástico é prejudicial tanto ao meio ambiente quanto ao próprio ser humano.

E isso não é feito sem políticas públicas, ações educativas e novos modelos de negócios que garantam a circularidade dos plásticos.

Alternativas para a Proibição de Canudos de Plástico

Já existem algumas alternativas para resolver o problema causado pela proibição de canudos de plástico descartáveis.

Um exemplo é o uso de canudos biodegradáveis, de papel, bambu ou outros materiais. Na Espanha, uma startup criou um canudo comestível, feito de açúcar, gelatina e amido de milho. Chamados de Sorbos, os canudos podem ter sabores diferentes como limão, morango e chocolate, prometendo não alterar o gosto da bebida.

Em Taiwan, a proibição de canudos plásticos começou em 2019. Por isso, uma empresa local desenvolveu o 100% plants, um canudo à base de fibra vegetal que se decompõe em aterros em poucos meses.

Há também os canudos reutilizáveis, de vidro ou de aço inox, que podem ser levados na bolsa pelos próprios consumidores.

Mas, independente da alternativa, é importante a compreensão de que apenas trocar canudos plásticos descartáveis por outros tipos não resolve a poluição de plásticos. É preciso modificar a maneira como se trabalha esse material.

Economia Circular do Plástico

A ideia é repensar o uso do plástico de acordo com os princípios da economia circular, inovando e levando o consumo do material para um patamar que vise tanto uma estabilidade econômica quanto melhores resultados ambientais. Ou seja, uma economia circular do plástico.

Para atingir esse objetivo, a infraestrutura pós-uso do plástico precisa ser revista, sendo necessário incluir a responsabilidade empresarial pelo que se produz, assim como estimular a inovação com embalagens que não gerem poluição ao serem descartadas. Elas devem ser pensadas para seguir alimentando o ciclo técnico ou biológico.

E os formuladores de políticas públicas podem estimular uma adequação do mercado ao uso consciente e inovador do plástico. Para isso, é importante ir além da proibição, estimulando o desenvolvimento de novas alternativas que gerem uma melhoria efetiva.

Goldenplast Descartáveis Biodegradáveis

A Goldenplast, uma Fábrica de Descartáveis e Fornecedora de Produtos Descartáveis de Qualidade, está sempre focada no Meio Ambiente e planejando o futuro.

Nosso compromisso é fornecer pratos, talheres e copos descartáveis de forma segura aos nossos clientes. Atendendo toda a legislação vigente, avaliamos e controlamos todos os perigos relacionados aos nossos produtos, garantindo assim sua total segurança.

Estamos comprometidos com a diminuição dos impactos ambientais (por exemplo, com a implementação do uso de plástico biodegradável em nossos produtos), cumprindo a legislação e regulamentações através da melhoria contínua de nossos processos e serviços.

Mais Informações sobre este assunto na Internet:

Artigo Publicado em: 31 de jan de 2020 e Atualizado em: 25 de outubro de 2021